Você está aqui: Home » Notícias » ABRAMP participa de solenidade ao lado do Presidente Jair Bolsonaro

ABRAMP participa de solenidade ao lado do Presidente Jair Bolsonaro

Compartilhe no:

Sempre atuante, a ABRAMP marcou presença ao lado do Presidente Jair Bolsonaro, na inauguração da obra de pavimentação de um trecho de 51 km da BR-163 que liga Mato Grosso aos portos de Miritituba, no Pará. A conclusão do trecho estava entre as prioridades da sua gestão, conforme o Presidente declarou ao público.  Durante a […]

ABRAMP participa de solenidade ao lado do Presidente Jair Bolsonaro
ABRAMP participa de solenidade ao lado do Presidente Jair Bolsonaro

Presidente Jair Messias Bolsonaro

Sempre atuante, a ABRAMP marcou presença ao lado do Presidente Jair Bolsonaro, na inauguração da obra de pavimentação de um trecho de 51 km da BR-163 que liga Mato Grosso aos portos de Miritituba, no Pará. A conclusão do trecho estava entre as prioridades da sua gestão, conforme o Presidente declarou ao público. 

Durante a cerimônia, Bolsonaro condecorou alguns militares do 8° Batalhão de Engenharia de Construção (8º BEC) que trabalharam na obra. Além dos representes da ABRAMP, Felipe Valim, Welliton Tenório e Rogério Manoel, participaram da cerimônia o ministro da Casa Cívil, Onyx Lorenzoni, o Governador do Estado do Pará, Helder Zahluth Barbalho, e o Secretário Municipal de Meio Ambiente de Novo Progresso/PA,  Juliano Cesar Simionato.

Em seu discurso, o Presidente Bolsonaro criticou o que considera um excesso de demarcação de terras indígenas e quilombolas no país. Para ele, a política de governos anteriores para questão de demarcações era “equivocada” e atendia “interesses” estrangeiros. “Gostamos, queremos o bem, amamos nossos irmãos índios, mas a política implementada é totalmente equivocada e atendia aos interesses de outros países.”

Bolsonaro defendeu a agricultura em terras indígenas e disse que enviou ao Congresso um projeto de lei que regulamenta a mineração e a geração de energia elétrica nessas áreas. O texto abre a possibilidade de as aldeias explorarem as terras em outras atividades, como agricultura e turismo.

“Queremos que nesse projeto, índio tenha o mesmo direito que seu irmão fazendeiro do lado tem. Garimpar, cultivar, arrendar sua terra, se for o caso construir PCHs (Pequenas Centrais Hidrelétricas, construir hidrelétricas. O índio é nosso irmão, estamos buscando integrá-lo a sociedade”, declarou. Esse apoio do Presidente à mineração é, sem dúvida, o que mais o Brasil necessita nesse momento para voltar a crescer e brilhar.