Você está aqui: Home » Notícias » Garimpo de Serra Pelada será tema em grupo de São João

Garimpo de Serra Pelada será tema em grupo de São João

Compartilhe no:

Um dos maiores grupos de quadrilha do Tocantins, a Junina Filhos da Boa Vista, de Tocantinópolis, divulgou o tema que será trabalhado no espetáculo de São João deste ano: “Nem tudo que Reluz é Ouro”. A temática de 2020 foi lançada durante evento realizado no hall da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer, e […]

Garimpo de Serra Pelada será tema em grupo de São João
Garimpo de Serra Pelada será tema em grupo de São João

Um dos maiores grupos de quadrilha do Tocantins, a Junina Filhos da Boa Vista, de Tocantinópolis, divulgou o tema que será trabalhado no espetáculo de São João deste ano: “Nem tudo que Reluz é Ouro”. A temática de 2020 foi lançada durante evento realizado no hall da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer, e gerou muita expectativa no público.

O espetáculo é só em junho, mas os ensaios começaram ainda em janeiro. Para este ano, o grupo evidenciará a marcante história do Garimpo Serra Pelada, desde conflitos às conquistas dos garimpeiros. E para fazer bonito na arena, os ensaios estão a todo vapor.

O presidente da junina, Renan Bezerra, destacou que grupo está bastante confiante para o São João 2020. “As expetativas são as melhores possíveis. Com o lançamento do nosso tema, vamos fortalecer ainda mais os nossos trabalhos, para assim, fazermos um grande espetáculo e representar Tocantinópolis no Concurso Estadual de Quadrilhas Juninas do Tocantins”, disse.

De acordo com o coordenador de Relações Externas, Wellington Mota, a junina optou por um tema diferente dos habituais. Com o tema: “Nem tudo que Reluz é Ouro”, o grupo traz como enredo a história de Chico, um garimpeiro que como tantos outros fizeram parte da Serra Pelada.

“Procuramos um tema rico culturalmente. Então, decidimos evidenciar a trajetória da Serra Pelada, considerado o maior garimpo a céu aberto já registrado na história da humanidade. Miséria, violência e corrupção predominavam naquela época. Estima-se que mais de 100 mil homens trabalharam no local. Com a notícia de que lá havia muito ouro houve então uma debandada de pessoas para aventurar a sorte e conseguir ficar rico, mas poucos do que estavam ali enriqueceram, pois quanto mais se ganhava mais se gastava com álcool, armas e prostituição”, enfatizou Wellington Mota.

Um festival de cores, alegria e ritmos define a maior festa junina da região Norte do País, o Arraiá da Capital. Realizado há 23 anos, o evento reúne mais de 20 quadrilhas e cerca de 1.500 dançarinos em quatro noites de festa que surpreendem pela criatividade.

A beleza e sincronismo das quadrilhas juninas, o Barracão do Forró e os shows musicais são parte da programação do evento que anualmente atrai um público cada vez maior.

Fonte: Folha do Bico