Você está aqui: Home » Notícias » Quanto existe de ouro no mundo?

Quanto existe de ouro no mundo?

Compartilhe no:

Conhecido desde a Antiguidade, o ouro é um dos metais mais cobiçados pela humanidade. No entanto, é espantoso como a quantia total de ouro no mundo é surpreendentemente pequena.  Para se ter ideia, a produção mundial anual de ouro é de aproximadamente 1,55 milhões de quilos. Em outras palavras, todo o ouro produzido no mundo […]

Quanto existe de ouro no mundo?
Quanto existe de ouro no mundo?

Conhecido desde a Antiguidade, o ouro é um dos metais mais cobiçados pela humanidade. No entanto, é espantoso como a quantia total de ouro no mundo é surpreendentemente pequena. 

Para se ter ideia, a produção mundial anual de ouro é de aproximadamente 1,55 milhões de quilos. Em outras palavras, todo o ouro produzido no mundo em um ano simplesmente caberia na sala de estar de uma casa! 

Já o cálculo da quantia total de ouro produzido pelo homem é um pouco mais difícil. Vamos imaginar que o mundo produziu 1.428.571 quilos de ouro por ano durante 200 anos. Fazendo o cálculo de 1.428.571 quilos X 200 anos, teremos 285.714.200 quilos de ouro. 

Pode parecer muito, mas essa quantia caberia em um cubo de aproximadamente 25 metros quadrados. Considere que o monumento do Obelisco no Ibirapuera tem medidas aproximadas de 10m x10m na base e altura de 72m. 

Isso significa que, se fosse possível juntar em algum lugar todos os pedacinhos de ouro que o homem já extraiu, poderiam ser construídos apenas dois monumentos como o de São Paulo.

Já na natureza, a estimativa é que ainda existam 54 mil toneladas embaixo da Terra. Esse número tem como base as jazidas que podem ser mineradas. O ouro costuma ser extraído de minas subterrâneas, de 1,5 quilômetro de profundidade, dos garimpos a céu aberto, a no máximo 50 metros da superfície.

No entanto, é provável que haja ouro fora do alcance da mineração. Segundo o World Gold Council, apenas 0,1% dos locais prospectados hoje vão levar à descoberta de uma nova mina. E só 10% dessas jazidas são viáveis financeiramente. Certo mesmo é que o metal seguirá sua vocação natural como um artigo raro, precioso e desejado.