Você está aqui: Home » ABRAMP » Nanoestruturas de ouro e prata alegam ter supercondutividade à temperatura ambiente

Nanoestruturas de ouro e prata alegam ter supercondutividade à temperatura ambiente

Compartilhe no:

Arxiv – Evidência de Supercondutividade em Temperatura Ambiente e Pressão em Nanoestruturas   Apesar de ser um fenômeno de baixa temperatura até hoje, a supercondutividade encontrou inúmeras aplicações em diversos campos da medicina, ciência e engenharia. O grande interesse científico no fenômeno, bem como sua utilidade prática, motivou grandes esforços para descobrir e entender novos […]

Arxiv – Evidência de Supercondutividade em Temperatura Ambiente e Pressão em Nanoestruturas

 

Apesar de ser um fenômeno de baixa temperatura até hoje, a supercondutividade encontrou inúmeras aplicações em diversos campos da medicina, ciência e engenharia. O grande interesse científico no fenômeno, bem como sua utilidade prática, motivou grandes esforços para descobrir e entender novos supercondutores. Relatamos a observação de supercondutividade a temperatura ambiente e condições de pressão em filmes e pelotas de um material nanoestruturado composto de partículas de prata embutidas em uma matriz de ouro. Especificamente, observamos que após o resfriamento abaixo de 236 K a pressões ambientes, a resistência dos filmes de amostra cai abaixo de 10-4 Ohm, sendo limitada pela sensibilidade do instrumento. Além disso, abaixo da temperatura de transição, as amostras tornam-se fortemente diamagnéticas, com susceptibilidades de volume tão baixas como -0,056. Além disso, descrevemos métodos para ajustar a transição para temperaturas mais altas que a temperatura ambiente.

Supercondutividade foi observada -123 ° C para campos aplicados de três a cinco Tesla.

Fonte: nextbigfuture.com