Você está aqui: Home » ABRAMP » China se torna o maior importador mundial de terras raras: analistas

China se torna o maior importador mundial de terras raras: analistas

Compartilhe no:

PEQUIM (Reuters) – A China, maior produtora mundial de elementos de terras raras, no ano passado também emergiu como a maior importadora do grupo de minerais usado em tudo, de cerâmica a produtos eletrônicos de consumo, disseram analistas na quarta-feira.   A China tem sido durante anos o maior exportador de terras raras do mundo, […]

PEQUIM (Reuters) – A China, maior produtora mundial de elementos de terras raras, no ano passado também emergiu como a maior importadora do grupo de minerais usado em tudo, de cerâmica a produtos eletrônicos de consumo, disseram analistas na quarta-feira.

 

A China tem sido durante anos o maior exportador de terras raras do mundo, elevando os embarques no exterior em 4% com relação ao ano anterior para mais de 53.000 toneladas em 2018, e seu surgimento como o maior importador também é um desenvolvimento súbito e surpreendente.

 

O país importou 41.400 toneladas de óxidos de terras raras e óxidos equivalentes em 2018, um aumento anual de 167%, uma vez que a repressão à produção ilegal reduziu a produção doméstica, segundo um relatório da consultoria Adamas Intelligence.

 

As remessas eram principalmente na forma de concentrados minerais e químicos de Mianmar e dos Estados Unidos, disse o diretor administrativo da Adamas, Ryan Castilloux.

 

No caso de pelo menos sete principais terras raras – incluindo praseodímio, usado em ímãs, e ítrio, usado em cerâmica – a China foi importadora líquida em 2018 pela primeira vez em mais de 30 anos, disse Castilloux à Reuters.

 

“É definitivamente a primeira vez desde pelo menos 1985 quando a China emergiu como um grande produtor de terras raras”, disse ele.

 

Os volumes de importação no ano passado foram cerca de 10 vezes mais altos do que antes de 2015, disse Liu Wenping, analista da China Merchants Securities, em nota divulgada na quarta-feira, destacando que a China se tornou o maior importador de terras raras.

 

Os Estados Unidos, um importante mercado para as terras raras chinesas, enviam minérios ricos em lantânio, usados ​​na refinação de petróleo, para a China e depois compram os óxidos e produtos químicos, disse Castilloux.

 

No ano passado, Washington havia proposto a imposição de tarifas sobre importações de terras raras da China em uma disputa comercial entre os dois países, antes de reverter sua decisão.

 

Mianmar, no ano passado, tornou-se uma fonte vital de disprósio, térbio e gadolínio para os fabricantes de magnetos e ligas da China, segundo Castilloux, cujos números são baseados em dados alfandegários e na própria pesquisa de Adamas.

 

Se Pequim acabar proibindo as importações de terras raras de Mianmar este ano – devido aos temores de que o país do Sudeste Asiático esteja sendo usado para “lavar” material chinês extraído ilegalmente – a China poderá temporariamente voltar a ser exportadora líquida das sete principais terras raras em 2019, Castilloux disse.

 

Mas o aumento das importações chinesas parece ser uma tendência de longo prazo, acrescentou. Além da Lynas Corp, uma produtora de terras raras que opera na Malásia e na Austrália, “qualquer empresa que chegou à produção nos últimos anos fez isso vendendo terras raras para a China”, disse Castilloux.

 

Reportagem de Tom Daly; Edição por Emelia Sithole-Matarise