Você está aqui: Home » ABRAMP » Proprietário da Salinas Gold encabeça ação social e garante funcionamento do Hospital Geral de Poconé

Proprietário da Salinas Gold encabeça ação social e garante funcionamento do Hospital Geral de Poconé

Compartilhe no:

O empresário Valdinei Mauro de Souza, proprietário da Salinas Gold Mineração Ltda, encabeçou uma ação social no município de Poconé e juntamente com outros empresários e médicos, impediu que o Hospital Geral Dr. Nicolau Fontanilas Fragelli fechasse as portas. A unidade hospitalar acumula dívidas de aproximadamente R$ 1 milhões, e sem repasse por parte do […]

O empresário Valdinei Mauro de Souza, proprietário da Salinas Gold Mineração Ltda, encabeçou uma ação social no município de Poconé e juntamente com outros empresários e médicos, impediu que o Hospital Geral Dr. Nicolau Fontanilas Fragelli fechasse as portas. A unidade hospitalar acumula dívidas de aproximadamente R$ 1 milhões, e sem repasse por parte do Governo do Estado, estava prestes a suspender os atendimentos.

A parceria encabeçada pelo empresário possibilitou que fosse firmado um convênio  que neste primeiro momento beneficia mulheres gestantes. A informação consta em reportagem do jornal Centro-Oeste Popular.

Conforme a reportagem, o coordenador administrativo da Salinas Gold Mine, Mauro Vasquez, afirma que o convênio foi firmado em 2018 e a meta era realizar 14 partos mensais, mas o número é maior, sendo que as cirurgias são realizadas todas as segundas-feiras.

“O convênio foi firmado entre a Salinas, hospital e o Dr. Rogério Barros de Siqueira, da Clínica Plena. O hospital cedeu o espaço para as cirurgias de parto que ocorrem às segundas-feiras. Bancamos toda a estrutura clínica, o departamento médico e medicamentos, uma pequena parte dos exames de laboratório ao custo de R$ 41 mil ao mês para a realização de 14 partos”, explicou o coordenador.

“O convênio afiança toda estrutura que fica preparada, à disposição da população, que são pagas pela Salinas Gold. Além de partos, são feitas laqueaduras e retiradas de trompas. No mês de abril, o atendimento chegou a 16 procedimentos”, completou Vasques.

O convênio é comemorado pelo presidente da Associação Beneficência Poconeana e diretor do hospital de Poconé, Danton Caporossi, que afirma que a ação encabeçada pelo empresário Valdinei Souza foi fundamental para que o Hospital Geral Dr. Nicolau Fontanilas Fragelli continue a atender as gestantes do município.

“Além da colaboração do Valdinei, precisamos de mais ajuda de todos, daqueles que estejam dispostos a colaborar com nossa causa. Não recebemos nenhuma ajuda do Governo do Estado e estamos tentando uma agenda com o secretário estadual de Saúde Gilberto Figueiredo e com o governador Mauro Mendes para sensibilizá-los da importância de recebermos os recursos do Estado”, relata a reportagem do CO Popular.

As gestantes, além de terem custeadas as cirurgias, a partir do próximo mês serão beneficiadas com um kit parto, composto de uma banheira, fralda, álcool em gel, gazes para os primeiros cuidados básicos com o recém-nascido.

Para a realização das cirurgias não é realizada nenhuma triagem, com o hospital atendendo a todas as pessoas carentes e aquelas que não têm condições de pagarem pelos procedimentos.

“Não temos o trabalho de assistente social para fazer a seleção. Nossa proposta é ajudar as mulheres carentes no município. O foco do convênio é a mãe carente. Se o parto oferece risco para mãe e para o bebê, eles estão encaixados no convênio. Entra nesse rol de benefícios mulheres que estão com problemas nas trompas, precisam fazer laqueadura. Toda parte médica que diz respeito à rede feminina entra na esfera do nosso convênio de média complexidade e a cesárea”, assegura o coordenador da Salinas Gold.

De acordo com Mauro Vaquez, o hospital está endividado e precisa de tudo para resolver as pendências que se arrastam ao longo dos anos. Para solucionar as dívidas, o hospital precisa em torno de R$ 1 milhão. Ainda segundo ele, em uma conversa entre o diretor do hospital, Danton Caporossi e o empresário Valdinei, foi solicitado que fosse feito um levantamento das principais dívidas.

Após esse levantamento, 12 principais credores foram selecionadas e a Salinas Gold assumiu a dívida que soma o montante de R$ 260 mil, que vai ser parcelada em 12 vezes. “São dívidas antigas, dos anos de 2012, 2015, contas a pagar da assessoria contábil, convênio com a Unimed, laboratório, entre outros. É um sacrifício para receber do município. O SUS tem uma capacidade de atendimento que é renovada a cada ano. Ele tem estrutura para atender os Pronto Atendimentos Médicos (PAM), tem capacidade de internação, números de leitos, todo mês. Na hora que é feito o fechamento e se o número ultrapassa o atendimento, somente é pago o valor estipulado no convênio. Nosso próximo passo em prol da saúde poconeana é equipar o centro cirúrgico e trocar os equipamentos que são antigos”, frisou Vasquez.

Fonte: http: www.noticiamax.com.br