Você está aqui: Home » Associados » As aplicações do ouro na atividade humana

As aplicações do ouro na atividade humana

Compartilhe no:

Uso do metal se expandiu para diversos setores, desde indústria até a medicina   Redação 20 Fev 2019 às 10h10 Geral  Comentarios Por causa das propriedades que carrega, o ouro já foi empregado em vários contextos na atividade humana desde a antiguidade. Um dos principais foi ser utilizado como metal precioso e moeda de troca […]

Uso do metal se expandiu para diversos setores, desde indústria até a medicina

 

Redação 20 Fev 2019 às 10h10 Geral  Comentarios

Por causa das propriedades que carrega, o ouro já foi empregado em vários contextos na atividade humana desde a antiguidade. Um dos principais foi ser utilizado como metal precioso e moeda de troca entre civilizações como forma de regular o comércio. Hoje, o ouro já se expandiu para várias atividades, dado o fato de ser maleável e possuir características como resistência à corrosão e boa condutividade elétrica, além de não reagir com outros produtos químicos.

 

O uso mais popular na atualidade é na confecção de joias. O elemento faz parte da composição de diversas peças preciosas e com alto valor no mercado, como corrente de ouro, anéis, alianças, colares e pedras. De acordo com o Instituto Brasileiro de Gemas e Materiais Preciosos (IBGM), o Brasil está no ranking dos 15 maiores produtores de peças em ouro, com 22 toneladas de joias comercializadas e confeccionadas.

 

A agência da ONU para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) mostrou que a comercialização da  arte e do artesanato tiveram uma grande contribuição da joalheria de ouro. Em 2013, a exportação de joias de ouro representou mais de US$ 100 bilhões. Mas não é só nesse campo que o elemento é útil. Ele está presente na indústria de forma geral e realiza diversas funções.

 

Na indústria eletrônica, o ouro é utilizado em combinação com outros metais como ferro, níquel e sais de cobalto. Eles atuam na condução de eletricidade nos laminados de placas de computadores, telefones celulares, câmeras e TVs. O grande problema da utilização desses metais é o descarte incorreto de lixo eletrônico. Se fossem reciclados corretamente, poderiam render uma boa cifra de matérias-prima por meio de um método chamado de mineração urbana. Um relatório da Organização das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Unep, na sigla em inglês), mostrou que o reaproveitamento de uma tonelada de celulares renderia: 3,5 kg de prata; 130 kg de cobre e 340 g de ouro.

 

O ouro também é aplicado em peças de cerâmica para a decoração, como reserva monetária e até mesmo na gastronomia, em forma de pó de ouro, na decoração de bolos e doces. Suas aplicações são diversas, por isso, não é de se imaginar que ele também tenha chegado na medicina e em tratamentos de estética. O mais comum é usar o ouro para a fabricação de próteses dentárias, devido à resistência e a maleabilidade do metal.

 

Mas não para por aí. O ouro é importante até mesmo para a realização de algumas cirurgias de reparação de vasos, nas quais se utilizam finas malhas de ouro. O metal também se faz presente em pesquisas medicinais, sobretudo para utilizar o elemento na área de nanotecnologia, biologia e medicina de forma geral.

 

Fonte: agoravale.com.br

 

Curta nossa página


Siga-nos no Google +


Visite-nós